Desapego

Começo finalmente a despir-me.
Peça por peça.
Vou tirando o que já não serve, jogando fora o que não se adequa mais ao meu momento atual.
A princípio é sofrido e custoso deixar certas coisas para trás, com suas lembranças e cheiros tão carregados de histórias e sentimentos.
Mas com o passar do tempo o alívio nos acalentará, afinal não será mais preciso ostentar ou fingir.
Ao final, quando estiver completamente nua, não sei qual será a sensação ou o gosto que levarei comigo.
A única certeza será a de liberdade por ter vivido e expressado as verdades que me eram tão caras.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer participar da discussão?
Fique a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *